• Daniel Santa Cruz

Líder engajador: como identificar e estimular?

Aqui na Santo Caos, acreditamos que engajamento se faz no dia a dia. É uma relação de confiança, transparência e cumplicidade que é construída o tempo todo. E cabe ao RH construir essa relação. Certo? Errado! Pelo menos em partes.

Justamente por ser uma conexão desenvolvida ao longo do tempo, precisa ser trabalhada sempre, e o líder imediato é quem normalmente tem as melhores condições para isso. Mas como fazer com que o chefe de uma área se torne um líder engajador? Confira a seguir.


Identifique os diferentes perfis de líderes

Qual é o estilo de liderança mais presente na sua organização? Empresas mais tradicionais e conservadoras tendem a ter líderes mais centralizadores e formais. Empresas mais flexíveis normalmente possuem lideranças mais abertas e próximas. Ou seja, em geral, o tipo de liderança praticado dialoga com a cultura da organização.

Uma boa forma de identificar os perfis predominantes é através de avaliações (ou assessments) individuais, que permitem captar como cada gestor tende a agir em determinadas situações.

Dependendo do estilo de liderança praticado, pode ser mais desafiador transformar o chefe num líder engajador. Por isso, o assessment é uma ferramenta importante na hora de criar embaixadores internos do engajamento.


Seu líder é engajador ou desengajador?

É frequente ouvirmos que “as pessoas não deixam a empresa, mas sim seu líder”. Tamanha é a responsabilidade da gestão diária em engajar e criar uma boa relação de trabalho, que ela acaba sendo determinante na experiência do empregado. Portanto, precisamos saber se os líderes estão sendo engajadores ou desengajadores.

No primeiro caso, é importante estimular comportamentos positivos, seja reconhecendo quem engaja mais, seja utilizando como fonte de boas práticas. E caso a liderança esteja tendo dificuldades em manter seu time envolvido, é essencial conscientizar, sensibilizar e mostrar a importância disso, além dos resultados que pode trazer para o próprio líder. Afinal, um time engajado traz muito mais resultados, com um clima melhor e maiores perspectivas de desenvolvimento.


Transforme líderes em embaixadores

As pessoas são diferentes, e naturalmente vamos conviver com líderes que são engajadores naturais, e outros nem tanto. Porém, hoje em dia sabemos que a “chefia” precisa desempenhar esse papel. Então temos que desenvolver e apoiar aqueles que não tenham esse aspecto ainda evidente em seu estilo de gestão.

Treinamentos, sensibilizações e oficinas para construir junto as iniciativas de engajamento são ferramentas poderosas nesse momento. Estando presente no momento da construção do plano, a tendência é que as pessoas se apropriem mais e se sintam mais conectadas ao propósito das ações.

Além disso, aquelas lideranças que já têm mais aptidão para engajar podem ser treinadas como embaixadoras do engajamento. Em um projeto recente para uma grande multinacional de alimentos, capacitamos e apoiamos toda a diretoria para multiplicar as competências que a companhia desejava desenvolver como parte de sua cultura. Com isso, lideramos pelo exemplo, contando histórias que se conectam com a experiência de cada pessoa, e de quebra, reconhecemos os líderes que já possuem essa “veia” para engajar.


Ofereça comunicação e apoio

Em todos os processos e projetos corporativos, a comunicação é uma aliada poderosa. Por isso, se você precisa que as lideranças da sua empresa assumam esse papel de engajar seus colaboradores no dia a dia, é importante empoderá-las com informações e ferramentas de apoio. Ajude-os também com planos de engajamento bem estruturados, com indicadores claros e, principalmente, mostrando os benefícios que as áreas terão por possuírem pessoas engajadas e um líder engajador.


E aí na sua empresa? As lideranças são engajadoras? Conta pra gente!


11 visualizações0 comentário

©2020 por Santo Caos.