• adriana dieuzeide

Comunicação interna: verdades e mitos

5 de maio é considerado o dia das comunicações no Brasil. A data foi instituída em homenagem a Marechal Rondon, nascido em 5 de maio de 1865 e considerado o pai da comunicação no Brasil. Ele ficou famoso por suas expedições pelo sertão brasileiro catalogando a fauna e a flora locais, e pela instalação de diferentes linhas de telégrafos - na época, um importante meio de comunicação. Em homenagem ao dia, então, durante todo o mês de maio vamos trazer alguns temas relevantes relacionados à comunicação interna.


Para começar, separamos alguns mitos e verdade que a área de comunicação costuma ouvir. Confira!


1. Quanto mais comunicação, melhor.

Mentira!

Especialmente nos dias de hoje, quando somos bombardeados de informações por todos os lados, é comum a comunicação interna concorrer com diversas outras fontes. Comunicar por comunicar, sem nenhum objetivo, pode confundir mais do que esclarecer. Por isso, é papel da área atuar como curadora das informações.

Na dúvida, antes de comunicar, sempre vale fazer algumas perguntas:

  • Esta informação é realmente útil para o público interno?

  • Esta informação pode mudar a vida ou a forma dele trabalhar?

  • Esta informação facilita a vida ou o trabalho dele?


2. “Comunicou, está comunicado”

Mentira!

Existe uma famosa máxima da comunicação, que é: "comunicar não é só o que você diz, mas também o que a outra pessoa entende".

Portanto, uma mensagem ser passada, não significa que ela foi recebida, e muito menos compreendida da maneira como se pretendia. No processo de comunicação, não somos somente emissores e receptores: é preciso considerar o feedback de quem é o alvo da comunicação.

Hoje, todos produzem conteúdo, e cada tipo de mensagem pode ter múltiplas interpretações.

Quanto mais interpretações diferentes uma determinada comunicação gera, menos efetiva ela é. E para saber como as pessoas entendem uma mensagem, é preciso ouvi-las. O que nos leva à nossa próxima dica...


3. Tão importante quanto falar, é ouvir

Verdade!

Muitas empresas consideram que têm uma boa comunicação porque contam com canais internos e uma equipe dedicada para isso. No entanto, em muitas delas, percebemos que os canais viabilizam apenas o fluxo de comunicação da empresa para o funcionário. Poucas consideram que, tão importante quanto falar, é estabelecer mecanismos para que o fluxo inverso aconteça. Ou seja, possibilitar que a comunicação também ocorra de forma ascendente, do colaborador para a empresa, é fundamental. Ouvir o colaborador, além de gerar vários insights para a empresa, também democratiza e humaniza a comunicação.

Neste texto apresentamos algumas possibilidades para aumentar o senso de escuta na empresa.


4. Apenas empresas grandes precisam de comunicação interna

Mentira!

Quanto mais gente, maior a necessidade de ter uma área estruturada e estratégica de comunicação. No entanto, empresas pequenas, mesmo que não contem com uma área específica, precisam estar atentas aos fluxos de comunicação da mesma forma. Justamente por pensarem que não precisam olhar para eles, essas empresas podem acabar sofrendo com a desinformação, a falta de transparência, os ruídos, as fofocas, dentre outros. Por isso, independente do tamanho, toda empresa precisa de um canal reconhecido que fale por ela e que formalize as informações, mesmo que este canal seja o próprio líder, por exemplo. A comunicação é uma necessidade humana, e acontece independente da empresa estruturar esse processo ou não. A questão é o como.


5. Comunicação interna não é responsabilidade apenas da área

Verdade!

Quem é da área de comunicação já está até acostumado: se deu certo, a área demandante está de parabéns. Se deu errado, foi porque a área de comunicação não comunicou direito (risos). Mas a verdade é que a comunicação interna ultrapassa a gestão do setor. Primeiro porque tudo na empresa comunica e isso está além do controle da área. Segundo que, de acordo com pesquisa da Santo Caos realizada com clientes, mais de 70% dos entrevistados consideram o líder como a principal fonte de comunicação. Ou seja, por mais que todos os canais internos falem, para a maioria das pessoas o que o líder fala tem um impacto maior.

Por isso, o correto é que a comunicação trabalhe em conjunto com as outras áreas, potencializando os objetivos, a partir da sua expertise em melhores canais, linguagem e tom.


6. Descentralizar é um caminho para potencializar!

Verdade!

Seguindo o raciocínio do tópico anterior, observamos que a descentralização é uma saída muito interessante para que a comunicação flua de maneira mais eficiente dentro da empresa. Muitas áreas de comunicação interna se enganam quando pensam que precisam ter controle sobre toda comunicação que é feita na empresa. Isso só traz um excesso de trabalho e, muitas vezes, frustração. Mais do que querer ser “dona” da comunicação, a área pode usar a sua habilidade para treinar outros comunicadores: os líderes, os setores que têm necessidade de fazer comunicados recorrentes, uma rede de embaixadores, dentre outros. Com isso, ela dissemina o conhecimento e pode se concentrar em aspectos mais estratégicos da comunicação.


Ainda pensando em descentralizar, um ótimo exemplo disso são as redes sociais internas. Com elas, todas as pessoas são potenciais produtores de conteúdo, e algo que poderia ser noticiado pela comunicação interna, pode contar com o protagonismo de alguém que está mais próximo do assunto, por exemplo. Neste caso, a comunicação atua muito mais para reforçar e dar o devido destaque, empoderando os personagens internos.


7. Comunicação não tem nada a ver com resultados

Mentira!

Apesar de muitas empresas não verem a comunicação como uma área estratégica para a organização, a área tem muito a ver com o resultado. Isso porque, além de impactar no engajamento (que, consequentemente, impacta no resultado), se ela estiver vinculada aos objetivos estratégicos da empresa, pode contribuir em grande parte para que ele seja alcançado. Para isso, no entanto, é preciso mensurar. E aí está o gap na maioria dos casos. Por isso, para ganhar um peso estratégico, a área precisa trabalhar com indicadores e metas bem claras. Só assim será possível apresentar o impacto da área no resultado da empresa.


8. É preciso humanizar a comunicação

Verdade!

Uma das formas de aproximar a comunicação dos funcionários é trazendo protagonismo. Isso pode ser feito de diferentes maneiras: compartilhar histórias, personalizar mensagens, trazer depoimentos e convidar o colaborador para falar são algumas delas. A busca deve ser por gerar identificação com o público. Uma vez que ele se vê no que está sendo dito, as chances dele se engajar com a mensagem é muito maior.


Esperamos ter esclarecidos alguns pontos importantes sobre a área e sobre alguns mitos que fazem parte dela. Sentiu falta de algo? Conte para nós nos comentários!


80 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo