• Daniel Santa Cruz

Como fazer o cálculo do absenteísmo?

Aprenda a fazer o cálculo do absenteísmo e veja como ele pode estar prejudicando a empresa e os seus colaboradores.

O absenteísmo no trabalho é o conceito que define as ausências dos funcionários na empresa, incluindo atrasos, saídas e faltas – justificados ou não. Não são necessárias fórmulas complexas para comprovar que o absenteísmo prejudica as organizações, pois a ausência de um colaborador atrapalha a continuidade de projetos, a presteza dos atendimentos, além de sobrecarregar os colegas e diminuir a eficiência da organização como um todo.

Mas como medir precisamente o quanto a empresa sofre com isso? Como saber o quanto isso a afeta financeiramente? Neste artigo vamos falar sobre números. Leia e descubra o passo a passo para fazer o cálculo do absenteísmo.

PASSO 1: CÁLCULO DE TEMPO EFETIVAMENTE TRABALHADO

Para calcular o número de horas que seus colaboradores deveriam trabalhar na empresa por mês basta multiplicar o número de horas da jornada de trabalho de uma pessoa por dia (por exemplo, 8 horas), pelo número de dias trabalhados no mês (por exemplo, 5 dias na semana, 20 dias no mês) e pelo número de colaboradores que têm a mesma jornada de trabalho (por exemplo, 10 pessoas):

  1. 8 horas de trabalho diárias x 20 dias x 10 colaboradores = 1600 horas planejadas de trabalho por mês.

PASSO 2: CÁLCULO DO TEMPO DE AUSÊNCIA

Para que o cálculo de horas de ausência seja feito corretamente é fundamental que a sua organização possua um sistema de ponto eficiente. É com as informações obtidas no ponto que você fará o cálculo. Basta transformar os dias faltados ou os minutos de atraso de cada colaborador em horas.

Para este cálculo, vamos ao exemplo:

Se dois de seus colaboradores faltarem quatro vezes no mês:

  1. 2 colaboradores x 4 dias de ausência x 8 horas por dia = 64 horas de faltas.

Se seis de seus colaboradores se atrasarem dez minutos todos os dias:

  1. 6 colaboradores x 10 minutos de atraso x 20 dias no mês: 1200 minutos.

Perceba que no segundo exemplo conseguimos o tempo de ausência em minutos. Para o cálculo final da taxa de absenteísmo é necessário trabalhar com a unidade de horas.

Portanto:

  1. 1200 minutos ÷ 60 minutos = 20 horas perdidas em atrasos.

Por fim, suponhamos que para este exemplo não houve saídas antecipadas no mês.

Assim, o cálculo final do tempo de ausência será:

  1. 64 horas de faltas + 20 horas de atrasos = 84 horas de ausência.

PASSO 3: CÁLCULO DO ABSENTEÍSMO

Para realizar o cálculo do absenteísmo final, basta dividir o número de horas de ausência pelo número de horas que deveriam ter sido trabalhadas no mês e multiplicar por cem:

  1. 84 horas de ausência ÷ 1600 horas de trabalho x 100 = 5,25 % de taxa de absenteísmo do mês em questão.

PREJUÍZOS

Não há um consenso entre os especialistas de Recursos Humanos sobre um índice de absenteísmo tolerável. No entanto, as opiniões normalmente variam entre 2% e 3% ao mês. Sendo assim, em nosso exemplo hipotético, a empresa estaria com números acima da média, mostrando que os gestores deveriam se preocupar com as ausências na organização.

O absenteísmo de um único funcionário pode diminuir drasticamente a produtividade de uma empresa. A falta de um colaborador em uma linha de montagem, por exemplo, impactará diretamente a confecção de um produto. Assim, a empresa gastará mais tempo, mais recursos e mais dinheiro para fabricar uma mesma quantidade de produtos que seria entregue por uma equipe completa. Eventualmente, isso pode impactar até na competitividade da marca em seu mercado.

Afastamentos por doenças ou acidentes de trabalho também são muito recorrentes e podem levar à necessidade de substituição de funcionários. Mesmo que temporárias, as substituições geram gastos com seleção, contratação e treinamento. Quando elas não ocorrem, a equipe fica sobrecarregada, o que pode acarretar em um ciclo vicioso de ausências, isto é: quem se sobrecarregou hoje, terá maior probabilidade de faltar ou de se atrasar amanhã.

Por isso, recomenda-se que as empresas realizem o cálculo do absenteísmo mensalmente, acompanhando de perto as causas e os gastos gerados por ele e, a partir disso, planeje ações para diminuir as taxas de ausências, atrasos e saídas de funcionários.

QUERENDO SABER MAIS SOBRE O ASSUNTO? Veja o nosso estudo sobre o migué, suas causas, consequências, e quais os mais comuns. Tanto no setor público quanto no privado.

Este artigo sobre cálculo do absenteísmo foi útil? Deixe sua opinião no campo de comentários.

VEJA TAMBÉM EM NOSSO BLOG

Absenteísmo: causas e consequências no trabalho.

05 consequências do baixo engajamento de equipe para as empresas.

Questionário de clima organizacional: como fazer?

Compartilhe isso:

  1. Clique para compartilhar no LinkedIn(abre em nova janela)

  2. Clique para compartilhar no Facebook(abre em nova janela)

  3. Clique para compartilhar no Twitter(abre em nova janela)

  4. Clique para compartilhar no WhatsApp(abre em nova janela)

#cálculodoabsenteísmo

0 visualização

Posts recentes

Ver tudo

©2020 por Santo Caos.