• Daniel Santa Cruz

Como cumprir a cota de PcD?

A sua empresa está engajada com a inclusão de pessoas com deficiência no quadro de colaboradores? Dê uma olhada nessas dicas que preparamos e veja como cumprir a cota de PcD, obtendo resultados sustentáveis.

A sigla PcD, empregada no Brasil desde 2006, significa: Pessoa com Deficiência. Ela é utilizada para se referir às pessoas que possuem limitações permanentes, sejam elas físicas ou mentais, presentes desde o nascimento ou adquiridas ao longo da vida (pessoas reabilitadas, por exemplo, que adquiriram uma deficiência a partir de um acidente).

É dever de boa parte das empresas (principalmente as de grande porte) ter em suas equipes de colaboradores uma cota de PcD. Mas, independente da obrigatoriedade, é fundamental que as organizações se conscientizem e não vejam a cota como uma medida compulsória. Idealmente, o foco da ação deveria ser a realização de uma inclusão verdadeira. Por isso, neste artigo, apresentamos dicas preciosas para você cumprir a cota de PcD, efetivando esta ação com qualidade e solidez. Acompanhe!

1. Mapeie os diferentes tipos de deficiências e as funções disponíveis na organização.

No momento de cumprir a cota de PcD é muito comum ouvir algumas empresas dizendo: “nós não conseguimos contratar pessoas com deficiência, pois o trabalho exigido é muito físico.” Talvez estas companhias estejam pensando apenas em indivíduos cadeirantes, por exemplo. Porém existem muitas outras deficiências. Por isso é tão importante mapear as deficiências, procurando cruzá-las com as funções disponíveis na empresa. Uma pessoa cega, por exemplo, não poderá dirigir um automóvel, mas certamente terá o perfil para muitos outros tipos de atividade na organização.

2. Esteja atento aos três tipos de acessibilidade.

Ao cumprir a cota de PcD, é importante que a organização acolha o colaborador com deficiência, contribuindo para que a sua adaptação aconteça da maneira mais rápida e simples possível. Para isso é fundamental que a empresa ofereça alguns tipos de acessibilidade. As três principais delas são:

  1. Acessibilidade arquitetônica: relaciona-se à facilitação de acesso físico a empresa, tal como a existência de banheiros adaptados, rampas, elevadores, corrimãos etc.

  2. Acessibilidade comunicacional: relaciona-se à facilitação da comunicabilidade, como por exemplo, a disponibilização de um programa que leia a tela do computador para cegos ou a presença de uma pessoa que saiba se comunicar pela Língua Brasileira de Sinais (Libras) na empresa etc.

  3. Acessibilidade atitudinal: relaciona-se à conduta da companhia, isto é, diretores, gestores e demais colaboradores da empresa devem entender a importância e o propósito da cota de PcD. Isto será decisivo para que eles tenham uma conduta inclusiva no dia a dia da organização.

3. Trabalhe na retenção e não apenas na contratação.

O cumprimento da cota de PcD vai além da etapa da contratação dos talentos. Outro passo crucial deste processo é trabalhar na retenção dos funcionários com deficiência.

Algumas ações podem contribuir para a fidelização destes colaboradores. Elas são:

  1. Recrutamento e seleção: esta modalidade de admissão pode gerar muitas dúvidas no RH. Por isso, contar com o apoio de empresas especializadas nesta modalidade de contratação é bastante recomendado.

  2. Treinamento: assim como qualquer outro funcionário, o colaborador com deficiência precisa ter a oportunidade de desenvolver-se dentro da companhia.

  3. Integração: é imprescindível que o funcionário com deficiência se sinta parte da organização, não sendo tratado apenas como um número para cumprir a cota de PcD. Assim, a integração também merece muita atenção. Quanto melhor for o relacionamento deste colaborador com a marca empregadora, as funções que ele exerce  e as equipes de trabalho, maior será o engajamento dele com a empresa.

E na sua companhia, como funciona a cota de PcD? Conte para a gente aqui no campo dos comentários.

VEJA TAMBÉM EM NOSSO BLOG

Employer branding: o que é e como ele pode te ajudar?

Employee Value Proposition (EVP): o que é e por que devo me preocupar com ele?

Como melhorar a imagem da sua marca para contratar funcionários?

Indicadores de RH: o que são e como usar?

Compartilhe isso:

  1. Clique para compartilhar no LinkedIn(abre em nova janela)

  2. Clique para compartilhar no Facebook(abre em nova janela)

  3. Clique para compartilhar no Twitter(abre em nova janela)

  4. Clique para compartilhar no WhatsApp(abre em nova janela)

0 visualização

©2020 por Santo Caos.